LEVE UM MECÂNICO COM VOCÊ

Comprar um carro usado pode ser arriscado porque você nunca sabe ao certo o passado daquele veículo e às vezes nem mesmo se pode confiar totalmente no vendedor.

Uma boa dica é você levar o seu mecânico de confiança, ou ao menos algum amigo entendedor de carros, para ir analisar o carro com você.

Você se sentirá mais seguro na hora de fazer a decisão de compra, já que essa ajuda especializada poderá lhe dar um panorama não só externo, mas também da mecânica do carro.

VERIFIQUE A DOCUMENTAÇÃO

Com uma simples busca no site do Departamento de Trânsito, você consegue descobrir se o carro possui multas a pagar e até mesmo se a placa é verdadeira. Análise também se o documento do veículo não é adulterado. O verdadeiro possui marcas em alto-relevo.

TENHA CUIDADO COM PREÇOS “BONS DEMAIS PARA SER VERDADE”

Não que eles não possam existir, às vezes o dono está se mudando e quer se livrar dos seus pertences logo. Ou então alguém que arrumou uma dívida e quer saná-la o mais rápido possível. Entretanto, essa oferta pode esconder também alguma surpresa negativa. Então, sempre pergunte o motivo da venda do carro.

Além disso, você só vai ter certeza se algum preço está valendo muito a pena ou não, se você estiver a par dos preços praticados no mercado. Assim, consulte o preço do carro na tabela Fipe e também faça uma ampla pesquisa de preços nas plataformas de classificados.

NÃO SEJA APRESSADO

Demonstrar muito entusiasmo na hora de analisar o veículo na frente do vendedor, pode ser problemático. Isso já dará para o vendedor a arma que ele precisa para poder negociar com você. Lembre-se que é você que comprará o veículo, sendo assim você é a oportunidade dele fazer um bom negócio. Não deixe esse jogo virar.

A pressa pode fazer com que você deixe passar detalhes importantes. Logo, antes de cada negociação, respire fundo e negocie com calma.

JAMAIS ADIANTE TODO O PAGAMENTO

Como falado na dica anterior, não faça nada com pressa. O vendedor pode dizer que precisa de alguma parcela antes para garantir a venda. Você pode, em um sinal de boa fé, adiantar uma parte do valor.

A nossa recomendação é que você adiante apenas um sinal, para que o vendedor saiba que você está realmente com intenção de compra.

Jamais adiante o pagamento por completo ou uma parte que comprometa a compra do carro. Há chances de você sofrer um golpe ou ao menos sair muito prejudicado nessa situação.

NÃO FECHE O NEGÓCIO A NOITE OU COM CHUVA

Essas condições temporais podem prejudicar o seu julgamento sobre o estado do veículo. Quem sabe um pneu gasto que não foi possível ver no escuro? Ou então, existem arranhões na lataria. Prefira fazer essa análise de manhã.

PESQUISE BASTANTE

Para encontrar o carro que vai de encontro às suas necessidades e nas melhores condições possíveis é preciso pesquisar bastante. Então, não desanime se isso demorar mais de um mês. Com a pesquisa, você vai conhecer melhor o mercado e saber identificar um preço bom de verdade, sem surpresas.

CONSIDERE OS CUSTOS ADICIONAIS NO PREÇO

Quando achar aquela oferta que lhe parece favorável, lembre-se que o custo do carro vai muito além do que o preço que estão pedindo por ele. Você deve comprar um veículo já pensando lá na frente no seu custo de manutenção, performance com combustível, valor do seguro, entre outros.

  • Esse é um carro que consome muito combustível?
  • É fácil de encontrar peças para reposição?
  • Quanto custa em média o seguro para esse carro?
  • Verifique o estado do veículo
  • Observe a lataria para ver se há arranhões ou desgaste na pintura.
  • Observe se as portas fecham corretamente e se estão alinhadas.
  • Abra também o capô e o porta mala e busque por indícios de batidas anteriores.
  • Sinais como soldas ou diferença de cor entre os parafusos na região. Isso pode indicar que já houve manutenção nessa área.
  • Verifique também se o carro possui todos os itens de segurança: chave de roda, macaco, triângulo, estepe, extintor. A falta de qualquer um desses itens, implicará em mais um custo adicional para você.

Por final, claro, realize um test drive no carro. Observe eventuais barulhos ou dificuldades na direção. Questione o dono do carro ou vendedor no caso de notar algo estranho, não arrisque.

NEGOCIE SEMPRE

Nunca deixe de negociar. Não fique com medo de parecer o “cara chato”. Você que vai investir o seu dinheiro, seja o quão criterioso quanto você precisar ser.

Considere sempre que inicialmente o carro estará com o preço inflacionado e já faça uma contraproposta diminuindo pelo menos 10% do valor. Além disso, a cada defeito não comunicado previamente, proponha reduzir ainda mais o valor.

NÃO SE ESQUEÇA DE ALTERAR O DOCUMENTO

Chegou a um valor aceitável para ambos e vão fechar o negócio? Então, resolvam toda a papelada. A melhor opção para ambos é ir ao banco juntos para que você possa fazer o pagamento e depois seguirem para um cartório. Lá o vendedor assinará o recibo que comprova a venda.

Leve esse documento para o Detran e faça a transferência do carro para o seu nome. Lembre-se: você tem até 30 dias para fazer isso, se não poderá pagar uma multa e ter pontos acrescentados na carteira.